Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PaperLife

PaperLife

25
Jan11

Passado presente

Uma pegada deixada no passado,

Um futuro devastado.

A reminiscência de uma lembrança,

Desejando um pouco de esperança.

 

Uma vontade de vencer,

A certeza de um termo.

Doce agonia com que enfermo,

Dor lancinante que me faz fortalecer.

 

Lábios que me fizeram acreditar,

Razão que apenas me deixa desprezar.

19
Jan11

Murmúrio fatal

Um medíocre e simples abraço,

O aconchego do teu regaço,

O calor que faz de mim tua,

Teu ser que deixa a minha alma nua.

 

Um desejo, uma imagem,

Fantasia que não é mais que panorama.

Aquele toque que meu nome proclama,

Visão real de incerta paisagem.

 

Modesto olhar que me faz vacilar,

Débil sussurro capaz de matar.

13
Jan11

Reflexos de mim

Sentei-me e esperei…

Eu sentia, eu sabia… a minha intuição fazia-me acreditar que nada seria em vão.

No horizonte, apenas o crepúsculo da noite aparecia, manchado com a sombra que se erguia das casas.

O meu olhar ficou cansado, as pestanas pesadas…

A espera não foi inútil, como eu sempre soube. A espera ajudou-me a depreender a minha essência, o porquê dos meus actos, a direcção dos meus passos.

Compreendi…

São as nossas escolhas que fazem o nosso fado, e um simples passo em falso pode fazer desabar todo o mundo até então construído.

Penso que o meu subconsciente já sabia disso, mas admitir certas escolhas para nós próprios é o mais difícil.

Levantei-me, virei-me de frente para o meu espelho e vi o meu reflexo.

 

A escolha que fiz hoje irá mudar o meu dia de amanhã…

12
Jan11

Cruzadas

Amplexo que me protege,

Mãos poderosas que me amparam,

Obsessão que faz de mim herege.

Temor de meu fado vão,

Égide que teu corpo reflecte.

 

Mito que se comuta real,

Utopia tornada trivial.

Índole apaixonante que teu ser escora,

Teurgia evocada em tua fama,

Odisseia vivida por ambos outrora.

10
Jan11

Muda quimera

Cavaleiro errante pelo qual clamo,

Som mudo que minha alma proclama.

Ente Supremo que amo,

Indígete que meu desejo chama.

 

Quimera de um olhar enamorado,

Rumorejo que me enlouquece.

Insânia de um amor roubado,

Corpo possante que me aquece.

 

Pecado que faz de mim criminosa,

Fugindo de uma batalha ociosa.

Pág. 1/2

Sigam-me

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D